domingo, setembro 16, 2007

XAVIER, UM EXEMPLO COMPLETO

UM EXEMPLO COMPLETO

Preciso narrar, no contexto da vida do Pr. Manuel XAVIER dos Santos Filho, o dia 15 de Setembro (sábado) de 2007.
Neste dia ele começou a se despedir. Na verdade, as despedidas começaram no dia 14 (sexta). Na verdade mesmo, as despedidas tiveram início há um ano e meio, quando o diagnóstico de câncer foi desvelado. Ele sempre pediu a Deus que lhe desse o privilégio de se despedir. A viagem que fez ao sul do país, onde começou o seu ministério pastoral, tivera já a mesma intenção. Assim se despedindo pregou à Assembléia da Convenção Batista Brasileira em Florianópolis (SC).
As duas últimas semanas foram intensas, no corpo e na alma. Os médicos decidiram fazer mais uma cirurgia, mas verificaram que o tumor tinha crescido muito e nada mais podia ser feito. Aos poucos foi ficando clara a percepção de que o desfecho se aproximava.
Na sexta-feira (14), depois de reunir a família, Xavier convocou a liderança da sua igreja (a Igreja Batista Memorial da Tijuca) para um encontro no seu quarto no Hospital São Lucas, no Rio de Janeiro. No sábado, foi a vez dos amigos pastores.
Por volta das 10h30minutos, entraram os pastores no quarto 701. Ele agradeceu as presenças amigas e depois estimulou-os a permanecerem fiéis às suas vocações. Pediu que fossem lidos os 58 versículos do capítulo 15 de Coríntios e cantado o hino dos pastores ("Olhando para Cristo" ["Ruge forte contundente"...]), de João Filson Soren. Depois de uma oração, ele distribuiu chocolate para todos, como uma lembrança ("não é a Ceia do Senhor, não"-- disse) da bondade de Jesus.
Os presentes são testemunhas de que Xavier e Clenir tornaram aqueles momentos em inesquecíveis, porque todos, achando que foram edificar, saíram edificados.
O mesmo aconteceu à noite. O tempo, construído sob a sua liderança, estava cheio. Todo o culto, conduzido pela ministra de música da Igreja, Jilza Feitosa de Araújo, se compôs de cânticos e orações. Ao final, a esposa Clenir falou e, por fim, falou Xavier, em pé, por vários minutos, falando de sua gratidão a Deus por lhe permitir despedir-se dos seus amigos e desafiando ao reconhecimento de Jesus como Salvador e Senhor. Enquanto a Igreja cantava, ele se retirou para sua casa.

Até aqui narrei.
Agora, digo mais.

As palavras e os gestos de Clenir e Xavier facilitaram as coisas para os presentes. Houve emoção, mas não comoção. O palco foi mesmo ocupado, como queriam, por Jesus Cristo, o Rei dos reis.
Em resumo, Xavier disse que não desistiu de viver, mas está pronto para morrer. (A propósito, um de seus amigos disse que, com Xavier, aprendeu a viver e também a morrer.) Ele ainda ora para ser curado, mas está preparado para partir. Preparado e grato.
Momentos como estes só mesmo o Deus do Xavier (e nosso, graças e glórias a Ele) pode nos permitir fruir.
Ao final da noite, Xavier saiu da casa de Deus, para a sua casa familiar, esperando a hora da provável partida para a Casa definitiva.
Termino com uma frase, que ele detestaria ler: Xavier, você é um exemplo na vida e um exemplo na morte.
Então,

Que o Senhor te abençoe e te guarde, Xavier,
nesta hora anunciada como de morrer.
Que o Senhor sobre sua família e sobre você
faça o rosto dEle plenamente resplandecer.
Que o Senhor com sua imensa graça e poder
faça sobre você Sua bela face incandescer
e a paz-que-excede completamente te dê.

ISRAEL BELO DE AZEVEDO
Rio de Janeiro, 15 de Setembro de 2007.

5 comentários:

Edison Bezerra disse...

É aboençoador perceber a ação da bondade de Deus, que possibilita aos seus servos servi-lo em vida e também na morte. Deus, o Senhor, recebe toda honra e glória pela vida de seu servo Xavier.

Nane disse...

Quanto mais ouço e leio sobre o pr. Xavier, mais louvo a Deus por essa vida que está na categoria daquelas que continuam a deixar marcas do amor de Jesus mesmo quando humanamente isso não mais seria possível.
Obrigada, pr. Israel, por compartilhar esses momentos singulares, abençoados e abençoadores.
Luciane Sylvestre (PIB Ctba)

Malu disse...

Nunca imaginei que um dia eu podesse ver a morte na vida de um homem de uma forma tão expressiva, como estou vendo na vida do Pastor Xavier, não conhecia este servo, vi pela primeira vez no culto funeral do nosso tão querido Pastor Waldemiro Tymchak, e pude conhece-lo pessoalemnte quando ele esteve em minha Igreja em Fortaleza. Cada noticia que recebo da saúde do Pr. Xavier fico inpactada com a gradiosidade e o poder do nosso Grande Deus.
A Deus toda honra toda glória.
Lourdes Sales (PIB Fortaleza)

alessandra costa disse...

🙇 saudades do pai na fe da mae 😔

alessandra costa disse...

Saudades😢